sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Tannöd


Em breve a Record vai lançar mais um thriller horripiliante, intituilado Tannöd, escrito por Andrea Maria Schenkel.

“A menina atravessa o corredor comprido entre os cochos. Ela hesita. Para. Chama novamente pela mãe, pela avó. Desta vez, um pouco mais alto. Fica sem resposta de novo.


No curral, vê os animais acorrentados às argolas de ferro na barra dos cochos. Os corpanzis das vacas movem-se com tranquilidade. Nada além de um lampião de querosene ilumina o curral.

No final do corredor que segue por entre os cochos, Marianne vê a porta para o celeiro aberta.

Vai ver a mãe está no celeiro. Mais uma vez chama por ela, mas continua sem resposta.


Ela segue pelo corredor até o celeiro. Na soleira, hesita de novo. Nenhum ruído vindo da escuridão chega até ela. Respirando fundo, Marianne entra.”


Na isolada propriedade dos Danner, em Tannöd, uma família inteira foi exterminada na mesma noite; até mesmo as crianças, cruelmente assassinadas a golpes de picareta. Nem a criada nova, que estava lá havia apenas uma noite, foi poupada.


O lugar ficou conhecido como a “Fazenda dos Assassinatos”. E, se antes poucos a visitavam, devido à fama sórdida que envolvia a filha do casal e ao péssimo humor do Sr. Danner, agora todos temem até mesmo olhar aquelas sombrias construções. Não há qualquer vestígio do assassino, e por isso o medo se espalha pelo lugarejo. Cabe ao leitor seguir o rastro.


Tannöd
é um magnífico suspense. Breve, porém intenso. Um romance que revela aos poucos, por meio de depoimentos de vizinhos, autoridades e trabalhadores locais, peças do quebra-cabeça que aos poucos forma a imagem daquela terrível noite.

A colega de escola da menina Marianne, que expõe de maneira inocente o pungente sofrimento da criança; a irmã da criada nova, que se arrepende de tê-la incentivado a aceitar o emprego para não precisar mais abrigá-la em sua casa; o prefeito, que se exime das responsabilidades – esses e outros expõem conjecturas e teorias, relembram o passado, acusam e redimem, ajudando o leitor a compreender melhor a tragédia que ali se deu.


O mais apavorante é acompanharmos o assassino passo a passo, sem conhecer-lhe a identidade. A ansiedade acompanha o leitor até o fim, desfazendo-se apenas quando o mosaico está completo.

Andrea Maria Schenkel mora com a família nas proximidades de Regensburg, Alemanha. Tannöd é seu romance de estreia, pelo qual recebeu o Deutschen Krimi Preis, bem como o Friedrich-Glauser-Preis.



2 comentários:

  1. Ebaaaa! Quero ler! Adorei a sinopse =)

    ResponderExcluir
  2. Vai sair em breve, Alê. No começo de 2011. Também estamos superansiosos para ver este livro nas livrarias. Dá muito medoooo!!!! beijos

    ResponderExcluir