sexta-feira, 25 de maio de 2012

Mario Puzo numa história de vingança envolvendo alemães e norte-americanos

Quando o nome de Mario Puzo é citado, a referência automática que todos fazem é ao clássico O Poderoso Chefão. Compreensível. Afinal, além de ser um livro espetacular, suas adaptações para o cinema estão entre os melhores filmes da história (tendo inclusive, sido vencedor de Oscar).

Mas dessa vez a coisa é diferente. Em Seis Túmulos para Munique saem os mafiosos italianos e entram agentes da Gestapo (a polícia política da Alemanha nazista) e um capitão da Inteligência dos Estados Unidos.

A história trata da tortura cometida por sete oficiais da Gestapo ao capitão Michael Rogan e dos acontecimentos ocorridos depois disso. Passados dez anos do ocorrido, os oficiais alemães construíram vidas novas em ambos os lados da Cortina de Ferro e o capitão norte-americano, ao contrário do que imaginavam, sobreviveu às torturas sofridas. Mesmo estando apenas parcialmente recuperado dos danos sofridos, a sua vingança terá início.

2 comentários:

  1. Os livros do Michael Connelly são os melhores policiais já laçados no Brasil. A editora Record não pretende relançar os primeiros livros da série, já que são muitos e estão fora da coleção negra?
    Um abraço.

    ResponderExcluir